O efeito do treinamento de força geral em triatletas do sexo masculino

As dificuldades que os praticantes de triathlon na cidade de Santos, encontram quando saem para treinar na modalidade de ciclismo
09/11/2002
O rendimento esportivo no triathlon a partir da análise das etapas de competição.
09/09/2006
Mostrar todos

RESUMO

O objetivo deste trabalho foi investigar a influência de um programa específico de treinamento com pesos nas variáveis neuromotoras e orgânicas de triatletas. A pesquisa foi desenvolvida com 14 atletas de nível nacional, do sexo masculino, participantes de competições de triathlon. Este treinamento foi desenvolvido em 24 sessões de musculação durante 12 semanas, sendo que a fase de adaptação , teve duração de 08 sessões, utilizando carga de 60% a 65% de uma repetição máxima (1RM). A fase especifica, teve duração de 16 sessões e utilizou uma carga de 65% a 80% de uma repetição máxima (1RM). A intervenção se deu subdividindo-se os sujeitos em grupo experimental (G 1), e grupo controle (G 2), onde o primeiro grupo fazia treinamentos com pesos e o outro não. Foram realizados testes e coleta dos dados em três momentos distintos: o primeiro, antes de iniciar o treinamento com pesos (antes da sessão No 01), o segundo com quatro semanas de treinamento com pesos (após sessão No 08), e o terceiro com doze semanas de treinamento com pesos (após a sessão No 24). Para analise estatística das seguintes variáveis: percentual de gordura (%G), massa corporal magra (MCM), peso corporal (PC), tempo de nado em 400 metros de crawl (TN 400 m), consumo máximo de oxigênio (VO2max em mil.kg-1.min-1), potência máxima (PP w.kg-1), potência média (PM W.kg-1) e índice de fadiga (%IF), utilizou-se o teste MANN-WHITNEY para pequenas amostras, sendo que o nível de significância considerado para este estudo foi de p < 0,05.
Tabela 1. Resumo das medias e desvio padrão das variáveis dos triatletas do grupo experimental e controle.

                                   Grupo experimental                             Grupo Controle  

Variáveis      AV 1                AV 2                AV 3                           AV 1                AV 2                AV 3

 PC                  72,4 +10,7        72,3 +10,3        71,9 +9,3          71,9+12,7       71,9+12,5         72,0+12,5

%G                 9,58+3,2           9,41+2,8           8,26+2,3           8,75+2,6         8,48+2,7          8,25+2,6

M.C.M           65,3+8,6           65,4+8,1           65,9+9,0           65,4+10,0         65,6+9,7        65,8+9,8

TN 400m      5,58+1,1*           5,57+0,9*           5,31+0,9*     6,35+0,8           6,37+0,7        6,30+0,8

VO2 máx       58,1+7,8           56,0+5,3           60,8+5,3           55,4+6,2           55,5+4,7        57,0+4,6

P.P W.kg -1        9,5+0,9             9,5+0,9             10,2+0,6*         9,4+1,0             9,2+1,0           9,4+0,9

P.M W.kg -1       7,9+0,6             7,6+0,6             8,2+0,4*            7,2+0,6             7,2+0,6           7,3+0,7

% IF                  0,36+0,07         0,38+0,05         0,38+0,03         0,43+0,08      0,42+0,05    0,43+0,03

Os principais resultados indicaram que este treinamento com peso, proposto para triatletas, apontam uma melhora significativa no tempo da natação (TN 400m), na potência máxima (PP) e na potência média (PM), influenciando no resultado do teste.

Referência Bibliográfica:
DOMINGUES FILHO, L. A – O efeito do treinamento de força geral em triatletas do sexo masculino, 2004. Dissertação (Mestrado) – Universidade Metodista de Piracicaba /SP.