Pensando o movimento no treinamento físico personalizado: parte I

Luiz Antonio Domingues Filho entrevistado por Fabiano Malheiros
05/03/2015
Pensando o movimento no treinamento físico personalizado: parte II
29/01/2016
Mostrar todos
  1. O que realmente devemos trabalhar com nossos clientes de treinamento personalizado?
  2. Que tipo de técnica ou método de treinamento devemos adotar?
  3. O que é mais importante em um programa de treinamento físico personalizado?

São perguntas que atormentam meus pensamentos todos os dias… e nem sempre as repostas são óbvias e as mesmas de sempre. Que tal começarmos a pensar em priorizar o movimento humano?

Isso mesmo! Se pensarmos no processo de treinamento físico personalizado como um processo de aprimoramento do movimento humano, acima de tudo, tenho certeza que outros objetivos poderão ser alcançados facilmente. Devemos ter em mente que o movimento é o centro de atenção de programa de treinamento físico, e é nele que devemos nos concentrar. É essa função que devemos aprimorar. Sem um eficiente controle e coordenação do movimento não se alcançam objetivos maiores!

Quando afirmo que devemos ter o foco do treinamento físico personalizado no aprimoramento do movimento humano, entende-se que devemos desenvolver todas as capacidades físicas inerentes ao ser humano de forma equivalentes. Não devemos negligenciar nenhuma das capacidades físicas. Necessitamos de todas as capacidades em qualquer atividade que podemos realizar. Raciocinemos juntos: para executar um exercício de força com eficiência, temos que ter boa amplitude de movimento na articulação trabalhada neste exercício. Da mesma forma, um bom condicionamento cardiovascular colabora para um aporte sanguíneo adequado nos músculos trabalhados no exercício escolhido.

Podemos pensar desta maneira sobre qualquer forma de treinamento físico. Na corrida, por exemplo, precisamos das mesmas capacidades acima citadas. Se não tivermos força muscular nesta atividade, como poderíamos desempenhar bem um treinamento ou uma prova de corrida?! Da mesma forma, precisamos de amplitude articular para a execução do movimento de corrida. E assim por diante.

Assim, devemos sempre levar em consideração o corpo humano como um todo, e não separá-lo em partes ou capacidades físicas, pelo menos para fins de treinamento físico personalizado completo e funcional.

Leve sempre em consideração as capacidades físicas de força, cardiovascular e respiratória, flexibilidade muscular e mobilidade articular, agilidade e equilíbrio. E não esqueçam de dar ênfase no trabalho de postura e coordenação e controle de movimento.

Mude o foco! Pense fora da caixa! Entenda o todo para depois ir fundo em algo específico!

Bons treinos!

Por Cássio Adriano Pereira